Sónia Moreira

Widget Image
Widget Image

Como médica e mãe criei este espaço de partilha de informação e de experiências. Ora mais formal, com referências bibliográficas científicas fidedignas para manter os interessados sobre o tema o mais atualizados possível. Ora mais informal, mostrando o lado mais humano dos médicos e pondo a descoberto alguma da experiência que tenho adquirido nestas “areias movediças” que são a Maternidade.

Os protagonistas deste blog são o Pedro, o Pai e o Pirata, rafeiro que adotamos em Junho de 2015 sob o olhar atento desta Mãe/ Esposa/ Médica. Leiam, coloquem dúvidas e partilhem, prometo escrever sobre os mais variados temas que despertam naqueles que convivem com mais “Pedros”, “Pais” e “Piratas”.

UM DIA MAIS MÃE, OUTRO DIA MAIS MÉDICA!
Image Alt

Vacinas extra plano – uma ajuda para os pais indecisos!

 

É papá de “primeira viagem” e está à nora com mil orientações, com mil cuidados, com mil sugestões, com mil palpites… Calma!

Eis um artigo sobre as vacinas extra, que como o próprio nome indica são vacinas EXTRA, como tal, NÃO SÃO obrigatórias. Quem sabe, um dia possam integrar o Plano Nacional de Vacinação gratuito, como já aconteceu com outras vacinas, mas por agora são mesmo um encargo extra para as famílias portuguesas. Como médica de família deparo-me com muitas perguntas destas “E se fosse a doutora o que fazia e qual fazia”. Por outro lado também me deparo com muitas situações de dificuldade financeira em que não há mesmo possilidade de fazer. O denominador comum destes pais é que querem sempre o MELHOR para os filhos. E para isso eu sou defensora que devem estar bem informados sobre essas decisões.

Áqueles que até queriam administrá-las mas que não têm hipótese financeira de o fazer um CALMA a dobrar. SEM REMORSOS. Sem pesos. A maioria das vacinas extraplano pode ser administrada mais tarde, numa altura menos “pesada” para o orçamento familiar.

Na tomada de decisão sobre as vacinas extraplano o que tem que ter em consideração? A eficácia, a segurança e o preço da vacina. E é isso que vou resumir neste artigo com tabelas de fácil consulta para pais e profissionais de saúde, adaptada das últimas recomendações fresquinhas da Sociedade Portuguesa de Pediatria 2018.

Em 2018, a Sociedade Portuguesa de Pediatria expõe 6 vacinas extraplano potenciais. Apresento abaixo os aspectos principais de cada uma delas, uma ajuda preciosa para os mais indecisos.

 

1. Vacina contra Neisseria meningitidis do grupo B

  • Vacinas disponíveis em Portugal:  Bexsero®, GSK e Trumenba®, Pfizer
  • O que previne? Doença meningocócica invasiva causada por Neisseria meningitidis do grupo B (Meningite B)
  • Indicações:  Bexsero® (Imunização activa de indivíduos com 2 ou mais meses de idade) ou Trumenba® (Imunização activa de indivíduos a partir dos 10 anos)
  • Eficácia: Bexsero® (6  A 9 em cada 10 vacinados  têm resposta imunitária protectora após 1 mês do esquema vacinal) ou Trumenba® (8 em cada 10 vacinados desenvolvem resposta imunitária protectora após 1 mês do esquema vacinal)
  • Segurança: Bexsero® (Foi avaliada em 14 estudos, incluindo 10 ensaios clínicos controlados, com aleatorização de 8776 indivíduos ; a febre é o sintoma mais comum) ou Trumenba® (Não foi detectado risco aumentado de efeitos adversos em >4250 indivíduos com idades entre os  10–25 anos em 7 ensaios clínicos)
  • Preço/ dose: Bexsero® (95,09€) ou Trumenba® (90,09 €)
  • Esquemas de vacinação:

 

Grupo etárioImunização primáriaIntervalos entre doses primáriasDose de Reforço
Lactentes, 2 a 5 meses3 dosesNão inferior a 1 mêsUma dose entre os 12 e 15 meses de idade
Lactentes não vacinados, 6 a 11 meses2 dosesNão inferior a 2 mesesUma dose no segundo ano de vida com um intervalo de pelo menos 2 meses entre a série primária e a dose de reforço
Crianças não vacinadas, 12 a 23 meses2 dosesNão inferior a 2 mesesUma dose com um intervalo de 12 a 23 meses entre a série primária e a dose de reforço
Crianças, 2 a 10 anos2 dosesNão inferior a 2 mesesNão estabelecida
Adolescentes (a partir dos 11 anos) e adultos2 dosesNão inferior a 1 mêsNão estabelecida
Resumo da posologia da Bexsero, Sociedade Portuguesa de Pediatria.
A segurança e eficácia de Bexsero em lactentes com menos de 8 semanas de idade não foram ainda estabelecidas; Caso seja adiada, a dose de reforço não deve ser administrada após os 24 meses de idade; Ver secção 5.1 do RCM de Bexsero. A necessidade e altura de administração de doses de reforço adicionais não foi ainda determinada; Ver secção 5.1 do RCM de Bexsero; Não existem dados para adultos com mais de 50 anos de idade.

 

Grupo etárioImunização primáriaIntervalos entre doses da série de imunização primáriasDose de Reforço
Adolescentes (a partir dos 10 anos) e adultos2 doses6 mesesDeve ser considerada a admistração de uma dose de reforço, após qualquer um dos regimes posológicos, em indivíduos com risco contínuo de doença invasiva meningocócica
3 doses2 doses com pelo menos 1 mês de intervalo, seguidas por uma terceira dose, administrada pelo menos 4 meses após a segunda dose
Resumo da posologia da Trumemba, Sociedade Portuguesa de Pediatria.
O Advisory committe for Immunization Practices (ACIP) recomenda esquema de 3 doses em indivíduos com risco acrescido de doença meningocócica e em situações de surto por N. meningitidis dp grupo B.

 

2. Vacinas contra Neisseria meningitidis dos grupos ACWY

  • Vacinas disponíveis em Portugal:  Nimenrix®, Pfizer e Menveo®, GSK
  • O que previne? Doença meningocócica invasiva causada por Neisseria meningitidis do  grupos A, C, W e Y
  • Indicações:  A viajantes com estadias prolongadas ou residentes em países com doença hiperendémica ou epidémica e sempre que exigido pela autoridade local. A título individual.
  • Eficácia: 7 a 9 em cada 10 vacinados  têm resposta imunitária protectora após 1 mês do esquema vacinal
  • Segurança: segura
  • Preço/ dose: Nimenrix®, Pfizer (45,71€) e Menveo®, GSK (53,26€)
  • Esquemas de vacinação:

 

Nome comercialGrupo etárioEsquema vacinal
Nimenrix, PfizerA partir das 6semanas2 doses com, no mínimo, 2 meses de intervalo e uma dose de reforço aos 12 meses de idade
A partir dos 12 meses1 dose*
Menveo, GSKA partir dos 2 anos**1 dose
* Pode ser considerada apropriada a administração de uma segunda dose de Nimenrix a alguns indivíduos.
** A Food and Drug Administration (FDA) aprovou a administração de Menveo a partir dos 2 meses de idade.

 

3. Vacinação contra o Papiloma Vírus Humano (sexo masculino)

  • Vacinas disponíveis em Portugal:  Gardasil ®, (inclui os tipos 6, 11, 16, 18, 31, 33, 45, 52, 58) e  Cervarix ®, (incluiu os tipos 16 e 18)
  • O que previne? Condilomas genitais, cancros do ânus, cancros do pénis, Cancros da cabeça e pescoço, Neoplasias intraepiteliais do pénis e ânus
  • Indicações:   Está indicado a Gardasil®9, a título individual, aos adolescentes do género masculino como forma de prevenir as lesões associadas ao HPV
  • Eficácia:  Ainda não há dados nacionais de eficácia. Nos EUA houve uma redução de 56% das infecções por HPV nas mulheres vacinadas. Após 10 anos de vacinação dá protecção sustentada.
  • Segurança: Gardasil ® (Nos EUA já foi administrada com segurança em > 15000 rapazes e raparigas) e Cervarix ® (Nos EUA já foi administrada com segurança em > 30000 raparigas)
  • Preço/ dose:  Gardasil ®, (145,33€) e  Cervarix ® (72,47€)
  • Esquemas de Vacinação:

 

Idade de início de vacinaçãoNº doses recomendadasEsquema recomendadeIntervalo mínimo entre as doses
9-14 anos2 doses0, 15 - 13 meses5 meses
Esquema alternativo de 3 doses, se 2ª dose com intervalo < 5 meses após a 1ª doses0, 2, 6 meses1 mês entre a 1ª e a 2ª dose
≥ 15 anosEsquema de 3 doses0, 2, 6 meses3 meses entre a 2ª e a 3ª dose
Esquema vacinal das vacinas contra HPV, Sociedade Portuguesa de Pediatria

 

 4. Vacina contra rotavírus

  • Vacinas disponíveis em Portugal: RotaTeq® MSD e Rotarix® GSK
  • O que previne? Gastroenterite aguda
  • Indicações:   Recomendação de vacinação de todas as crianças saudáveis. Atenção à idade de vacinação (ver idades nos esquemas de vacinação)
  • Eficácia:   Estudo de 2015 na região centro demonstrou  efectividade de 83% para observação em urgência e de 97,5% para internamento. 9 em cada 10 vacinados estão protegidos contra doença grave. 7 a 8 em cada 10 estão protegidos da doença
  • Segurança: Efeitos secundários raros e menosprezáveis
  • Preço/ dose:  RotaTeq® MSD (51,18 €) e Rotarix® GSK (57,02 €)
  • Esquemas de Vacinação:

 

 RotaTeq MSDRotarix GSK
TipoViva, oralViva, oral
ComposiçãoReagrupamento bovino-humano G1, G2, G3, G4; P[8]Humana atenuada G1; P[8]
Número de doses32
Primeira doseA partir das 6S e nunca depois das 12SA partir das 6S
Dose(s) subsequentesO esquema de vacinação deve estar concluído preferencialmente às 20-22S. Se necessário, 3ª dose pode ser administrada às 32SO esquema de vacinação deve preferencialmente ser administrado antes das 16S, mas deve estar completo pelas 24S.
Intervalo entre dosesMínimo de 4 semanasMínimo de 4 semanas
Administração simultânea com as outras vacinas do PNVSimSim
Administração ao pré-termo≥ 25S idade gestacional>27S idade gestacional
Características das vacinas contra rotavírus disponíveis em Portugal e esquemas propostos, Sociedade Portuguesa de Pediatria.

A Comissão de Vacinas não estabelece preferência entre as duas.

 

5. Vacina contra varicela

  • Vacinas disponíveis em Portugal: Varilrix® GSK (9) e Varivax® MSD (10)
  • O que previne? Varicela
  • Indicações:   A vacinação de adolescentes sem história prévia de varicela. Crianças que contactam habitualmente com imunodeprimidos.
  • Eficácia:   Nos países com vacinação universal com franco impacto sobre a doença. Após introdução universal da vacina nos EUA em 1995 houve uma redução > 70% na incidência da doença (19 e 35 meses). Redução da incidência ocorreu noutras faixas etárias
  • Segurança: Vacina bem tolerada. Principais efeitos secundários são locais. Complicações muito raras-
  • Preço/ dose:  Varilrix® GSK (9) (41,99€) e Varivax® MSD (10) (46,27€)
  • Esquemas de Vacinação:

 

 Varilrix GSK (9)Varivax MSD (10)
TipoViva, atenuadaViva, atenuada
Via de administraçãoSubcutâneaIntramuscular ou subcutâne
Local de administraçãoRegião deltoideZona anterolateral da coxa em crianças pequenas, e região deltoide em crianças mais velhas e adolescentes
Número de doses22
Primeira dose≥ 12 meses ≥ 12 meses; em circunstâncias especiais (ex. surtos) pode ser administrado a lactentes >9 meses
Intervalo entre dosesPreferencialmente a 2ª dose deve ser administrada pelo menos 6 semanas após a 1ª dose12 meses - 12 anos; mínimo de 4 semanas ≥ 13 anos: 4 - 8 semanas
Administração simultânea com as outras vacinas do PNVSimSim
Características das vacinas contra varicela disponíveis e esquemas vacinais, Sociedade Portuguesa de Pediatria.

A Comissão de Vacinas não estabelece preferência entre as duas.

 

6. Vacina contra o vírus da hepatite A

  • Vacinas disponíveis em Portugal:  Havrix® 720 Junior (GSK) e VAQTA® (MSD) – 25U/0,5ml
  • O que previne? Hepatite A.
  • Indicações:   crianças com alguns problemas de saúde (sob consulta no documento na íntegra), que viagem para países com endemicidade intermédia ou alta. Havrix® 720 Junior (GSK) (crianças e adolescentes dos 12 meses até aos 15 anos de idade. É aceitável administrar até aos 18 anos). VAQTA® (MSD) – 25U/0,5ml (12 meses aos 17 anos na dose 25U/0,5ml).
  • Eficácia:  Altamente eficaz (em outros países, sem estudos de eficácia em Portugal)
  • Segurança: Efeitos adversos locais
  • Preço/ dose:  Havrix® 720 Junior (GSK) (17,34€) e VAQTA® (MSD) – 25U/0,5ml (16,98€)
  • Esquemas de Vacinação:devem ser administradas 2 doses, preferencialmente com 6 a 12 meses de intervalo.

A Comissão de Vacinas não estabelece preferência entre as duas.

Por cá, o Pedrinho já está com 9 meses e optamos por fazer 2 das vacinas acima apresentadas: contra rotavírus e meningite B.

E você quer partilhar a sua experiência?

Clique aqui para fazer o download das Vacinas Extra Plano em PDF

 

Bibliografia:

  • www.infarmed.pt/web/infarmed/institucional/documentacao_e_informacao/publicacoes/prontuario-terapeutico, preços das vacinas consultados a 5 de Março de 2018
  • Centers for Disease Control and Prevention, acesso em www.cdc.gov/ entre 5 e 16 de Março de 2018
  • Sociedade Portuguesa de Pediatria, acesso em www.spp.pt
  • World Health Organization: WHO, acesso em www.who.int/en

Comentários

O seu comentário...