Sónia Moreira

Widget Image
Widget Image

Como médica e mãe criei este espaço de partilha de informação e de experiências. Ora mais formal, com referências bibliográficas científicas fidedignas para manter os interessados sobre o tema o mais atualizados possível. Ora mais informal, mostrando o lado mais humano dos médicos e pondo a descoberto alguma da experiência que tenho adquirido nestas “areias movediças” que são a Maternidade.

Os protagonistas deste blog são o Pedro, o Pai e o Pirata, rafeiro que adotamos em Junho de 2015 sob o olhar atento desta Mãe/ Esposa/ Médica. Leiam, coloquem dúvidas e partilhem, prometo escrever sobre os mais variados temas que despertam naqueles que convivem com mais “Pedros”, “Pais” e “Piratas”.

UM DIA MAIS MÃE, OUTRO DIA MAIS MÉDICA!
Image Alt

A Licença de Maternidade não são férias

 

 

 

Quem disse que a licença de maternidade eram férias? Sim, muita gente pensa e continua a pensar que aqueles meses após o parto dão para tudo. Quando estamos grávidas e imaginamos esses tempos pintamos um cenário idílico na nossa cabeça. Toda a gente diz para dormirmos quando o bebé dorme… Pois bem, se um recém nascido pode dormir em média 17 horas ao longo do dia e eu preciso de 8 a 9 horas de sono, ainda sobram outras tantas para “organizar a vida”. Eu fui tão optimista! Há variáveis que nos esquecemos nesta equação da maternidade. Subimos de tal forma as expectativas que quando somos confrontadas com a realidade ficamos um pouco desorientadas. Eu sei que é um cliché pedir às grávidas já no final desse estado de graça, (mas a bufarem por todo o lado): “descansem”, “durmam tudo o que têm a dormir”, “Arrumem tudo o que têm a arrumar”, “vejam as séries e filmes que têm a ver”… Tentamos avisar desta era apocalíptica que se aproxima, mas nenhuma futura mãe de 1ª viagem acredita nisso. Temos todas a esperança que connosco será diferente. Que nas restantes 8/9 horas em que o bebé está a dormir e, nós acordadas, vamos ser as FADAS DO LAR. Eu cheguei a pensar que ia aprimorar os meus dotes culinários e preparar receitas XPTO dignas de um restaurante de luxo! Cheguei a pensar que ia ter tempo de estudar muito e que quando regressasse ao trabalho ia estar tanto ou mais actualizada em termos científicos do que quando fiz exame de saída da especialidade. Cheguei a pensar que ia ver séries até à morte e que ia pôr a leitura em ordem! E vocês tiveram planos como os meus?

 

No post do “Pai é bruto” confessei que, sempre que posso, escrevo sobre passagens do dia a dia para mais tarde recordar. A propósito de arrumações da casa durante a licença de maternidade encontrei uns gatafunhos que ilustram muito bem o quão complicado é gerir as lidas domésticas com um bebé pequeno e a prova de que a licença de maternidade não são férias. Se tentarmos planear muitas tarefas, o mais certo é ficarmos à beira de um ataque de nervos, pois na maioria das vezes não as iremos conseguir cumprir.

 

Dia 15 de Junho de 2017 (Pedro com 22 dias)

 

São 14h30 e o Pai está contigo ao colo a abanar-te a tentar adormecer-te. De olhos abertos lutas contra o sono. Dei-te de mamar. Ora pega a mãe, ora pega o Pai. Nada de sono. Se calhar está calor no quarto, vamos para a sala. Tornas a mamar. Parece que adormeces. Deito-te na caminha… 10 minutos. E começo a engendrar planos de limpeza a fundo à casa. Acordas a chorar. Tento adormecer-te e acabamos por dormir os dois 1h. Quando acordo, levo-te muito cautelosamente para a cama. Arregaço as mangas rumo ao quarto e que comecem as limpezas! Convencida que assim que acordasses a casa estaria fresquinha e a cheirar a limpo. Começo pelo pó do quarto e ouço um choro desalmado. Deixei-te chorar um pouco apenas para te dar oportunidade de te acalmares sozinho. Mas não! O teu choro ecoava cada vez mais alto. Acalmas-te ao colo durante uns 15 minutos. Quando te pouso na caminha começas novamente a chorar. Raios! Troco a fralda. É miminho que queres não é? Ficamos uma meia hora. Sintonizo o  “white noise” e adormeces logo. E começa a luta das limpezas . Termino de limpar o chão e no finalzinho começas a chorar! Vá… São 20h e o quarto ficou limpo, menos mal“.

 

O meu conselho: descansem, descansem, descansem. Na gravidez e na licença de maternidade. Pede ajuda para as tarefas domésticas! Não somos super mulheres, super mamãs, super esposas, super domésticas. Somos de carne e osso e tivemos um parto há dias, há meses… Acordamos ao ritmo dum bebé que apenas quer sobreviver! Para tal precisa de ti, mamã… Serena e tranquila a fazer o que está destinado na licença de maternidade. Cuidares dele e DE TI de corpo e alma, porque o tempo passa rápido e já não vai voltar atrás!

Referências: Foto da autoria de Rabiscos de Mãe

 

Comentários

O seu comentário...