Sónia Moreira

Widget Image
Widget Image

Como médica e mãe criei este espaço de partilha de informação e de experiências. Ora mais formal, com referências bibliográficas científicas fidedignas para manter os interessados sobre o tema o mais atualizados possível. Ora mais informal, mostrando o lado mais humano dos médicos e pondo a descoberto alguma da experiência que tenho adquirido nestas “areias movediças” que são a Maternidade.

Os protagonistas deste blog são o Pedro, o Pai e o Pirata, rafeiro que adotamos em Junho de 2015 sob o olhar atento desta Mãe/ Esposa/ Médica. Leiam, coloquem dúvidas e partilhem, prometo escrever sobre os mais variados temas que despertam naqueles que convivem com mais “Pedros”, “Pais” e “Piratas”.

UM DIA MAIS MÃE, OUTRO DIA MAIS MÉDICA!
Image Alt

Os “Piratas” fazem bem às crianças?

Como já sabem, cá em casa temos o Pirata, o tal rafeiro que gosta muito de chupetas. Quando engravidei questionei muitas vezes até que ponto seria benéfico e seguro mantê-lo cá em casa. Devo garantir-vos que foi mais fácil do que imaginei. Acho que ajudou muito o facto do Pirata já estar na família antes de engravidar e durante a gravidez, pois foi fazendo uma espécie de preparação para o que se avizinhava. Por isso, sou adepta de os manter, para aqueles que já os tinham antes. É inconcebível pensar em abandoná-los, pois se foram presentes durante todo o processo de mudança e crescimento da família vão se adaptar perfeitamente aos novos membros: os filhos. E sim, vão observá-los de longe, vão ter medo de se aproximar, vão estranhar o seu choro… Mas também vão buscar uma bola e colocá-la na mãozinha da pobre criatura à espera que a atire para longe. O importante é não forçar nada, nem aproximação, nem afastamento. Os cães têm noção dos seus limites e perante aquele novo ser vão “acalmar”, vão amadurecer.

E porquê manter ou até pensar em adquirir um novo cão? Que benefícios nos podem trazer?

Inúmeros! Comecemos pelo mais óbvio: crianças com cães praticam mais exercício físico. Apesar de aparentemente óbvio há estudos que o confirmam. Um estudo levado a cabo  na Universidade de St George’s em Londres revelou que, em média, as crianças com idades compreendidas entre 9 e 10 anos com cães de estimação passam 325 minutos por dia (mais de 5 horas) em actividade física, 11 minutos a mais do que aquelas sem cães! Pode parecer pouco, mas traduz-se em mais de 1h por semana (1).

Está claramente demonstrado em inúmeros estudos que o convívio com cães traz benefícios psicológicos. Aliás, os cães têm vindo a ser usados em psicoterapia, por exemplo, em crianças com traumas. O convívio de perto com cães torna-as mais cooperativas e solidárias, elas aprendem a colocar-se na posição do animal e, mais facilmente, de outras crianças. As crianças em idade pré-escolar que cuidam de cães desenvolvem competências sociais, com melhoria franca da sua auto-estima e na forma como se relacionam com outras crianças. (2) Parece que os benefícios podem traduzir-se em menores scores de ansiedade (3).

A revista JAMA Pediatrics publicou em 2015 um estudo no qual demonstra que os animais de estimação em geral podem reforçar o sistema imunitário e prevenir alergias (4). Crianças que cresceram com cães em casa demonstraram menor probabilidade de desenvolver asma até à idade escolar, comparativamente com crianças sem esse convívio (5).

São tantos os argumentos a favor deste convívio. Mas claro que não podemos menosprezar os riscos a que estamos sujeitos quando lemos notícias horrendas a assinalar a morte de crianças por cães, que todos concerteza já ouviram (6). É por isso, que ter um cão, independentemente, de ter em casa uma criança é um ato que deve ser encarado com seriedade e muita responsabilidade. Não basta ter, é necessário cuidar! Dá trabalho, mas no final de contas e, como dizem os antigos… “sem trabalho nada feito”. Por isso, se “Os Piratas fazem bem às crianças?” Sim, fazem. Às crianças e aos pais delas! Concordam?

 

 

 

(1) Live Science. Disponível em: https://www.livescience.com/8633-kids-dogs-active.html. Acesso a a 19 de novembro de 2017.

(2) The New York Times. Disponível em: http://www.nytimes.com/1990/01/11/us/health-children-and-their-pets-unexpected-psychological-benefits.html Acesso a 19 de novembro de 2017

(3) Gadomski AM, Scribani MB, Krupa N, Jenkins P, Nagykaldi Z, Olson AL. Pet Dogs and Children’s Health: Opportunities for Chronic Disease Prevention?. Prev Chronic Dis.2015, 25;12:E205

(4) Fall T.; Lundholm C. ; Örtqvist A.; et al. Early Exposure to Dogs and Farm Animals and the Risk of Childhood Asthma. JAMA Pediatr. 2015;169(11):e153219

(5) BBC News. Disponível em: http://www.bbc.com/news/health-34697408. Acesso a 17 de novembro de 2017.

(6) Público. Disponível em https://www.publico.pt/2017/04/25/sociedade/noticia/crianca-de-quatro-anos-ferida-com-gravidade-por-rotweiller-1769954. Acesso a 17 de novembro de 2017

O seu comentário...